Ao longo de quase 20 anos de trabalho conheci centenas de empresários. Hoje convivo com muitos deles e trabalho também com muitos aqui na consultoria Grupo Maximuns.

Descobri uma coisa muito interessante sobre a vida dos empresários: muitos fazem de tudo para fracassar, tem um planejamento estratégico perfeito para dar tudo errado, quebrar a sua empresa, perder a sua saúde, acabar com sua família e cair em depressão.

Porque isso acontece? Identifiquei alguns motivos:

Empresas familiares em que não há boas regras.

Há muitas vantagens e desvantagens de ter uma empresa familiar, mas o problema que mais vejo é a falta de regras na gestão do dia a dia. Pequenas empresas costumam não ter uma gestão financeira correta: não sabem precificar, não entendem fluxo de caixa, qualquer pessoa da família tira dinheiro do caixa ou usa cartão de crédito da empresa sem computar os gastos. Assim, não sabem quanto vendeu, quanto gastou, não sabem quanto custa um projeto ou se é a hora certa de comprar uma máquina. Não entendem de linha de crédito, planejamento financeiro, projeção financeira e muitas vezes não há nem uma planilha para calcular o básico.

Outro fato comum é algum familiar saquear a empresa, ou seja, por comodidade, retira o dinheiro da empresa mais do que deveria mesmo a empresa não sendo tão lucrativa quanto antes. Isso acontece porque construiu uma vida em um padrão alto e não consegue imaginar diminuir este padrão.

Não tem uma mentalidade de empresário de sucesso, assim acaba com seu dinheiro, entrando em dívidas, quebrando a empresa, reclamando do país ou de seu setor em crise. Muitos pensam que é normal, porque seus amigos empresários também quebraram; está “todo mundo quebrado”, dizem. Mas na verdade, é apenas falta de uma gestão eficiente.

Apesar desses fatos serem mais comuns em pequenas empresas, acontece muito nas médias empresas também. O rombo financeiro acaba sendo muito maior porque a ilusão financeira é também é maior quando empresários veem milhões girando em suas contas. Percebo que empresários perdem a noção deste movimento e não determinam seus salários ou a distribuição de lucros corretamente, com isso retiram dinheiro da empresa descontroladamente, sem critério, afinal de contas “já que sou um empresário cheio de dinheiro na conta eu posso comprar carros para todos os filhos que fizeram 18 anos, ter carro do ano, ter casa na praia. Afinal de contas, todos meus amigos têm tudo isso”! Mal sabem eles que muitos ficarão ou estão endividados, vivendo uma vida que não podem pagar.

Quase sempre há um marido, esposa, filho ou agregados numa empresa familiar tomando dinheiro da empresa, seja porque retira dinheiro sem poder ou por ser ineficiente causando um custo maior na empresa. E quem vai demitir um marido ou esposa da função? Quem vai tirar o filho da empresa? Coitadinho, ele não vai conseguir emprego ganhando o mesmo. Ou então, ele precisa aprender a trabalhar na empresa da família porque um dia será dele. O grande problema do filho ineficiente é que causa um grande prejuízo oculto na empresa e ainda o filho nunca vai reconhecer que ele que é o problema afinal de contas ele estudou muito, diferente dos pais que não tem nem formação. Negócios são números e não somente sentimentos, se não fizer o que tem que ser feito a família toda não terá sua refeição amanhã.

O que é capital de giro?

Saber controlar o capital de giro é fundamental para gestão da empresa, quem não sabe lidar com isso pode ir à falência, mesmo que a operação da empresa seja lucrativa. Os juros, empréstimos, depreciações entre outros, podem destruir seu negócio. Como era fácil quando iniciou a empresa, não é? Todos queriam seu produto ou serviço, entrava dinheiro em abundância, mas agora tem estrutura maior, mais tecnologia, mais complexidade e você empresário se atualizou para tudo isso? Já fui em empresas que não usam nem computador, fazem as contas no papel e quando o gerente do banco liga pedindo dinheiro dão um jeitinho para resolver a situação e assim vão se passando 30 anos até que os filhos pegam o negócio já problemático e os pais querem aposentar bem, afinal de contas “já sofreram muito na vida”.

Capital de giro não é dinheiro para pagar as mordomias do empresário, não é para pagar o feriadão numa pousada na praia com a família dando desculpas que você merece só porque trabalha 15 horas por dia. Retirar seu capital de giro é o mesmo que você tirar as rodas do seu carro para vender, pegar o dinheiro e tentar viajar com seu carro.

Problemas na sucessão

O maior problema de uma empresa familiar é a sucessão, tema complexo que também trabalho hoje em dia. Além de muitas empresas não terem regras claras, acontece muito nas sucessões os filhos ou parentes não terem perfil comportamental ou conhecimentos suficientes para poder continuar a administração da empresa. O grande problema é explicar para o filho, por exemplo, que ele não tem capacidade de gerir a empresa. Coitadinho, estudou nas melhores escolas, fez intercâmbio, fala 3 línguas, mas não sabe ter atitude, discernimento para tomada de decisão e ficar na frente de uma loja vendendo, porque acha que já que estudou demais e precisa ficar na própria sala com ar condicionado, jamais ir na produção ou vender algo, porque tem que somente trabalhar na parte estratégica da empresa, não é?

Sou Líder?

Já atendi clientes em que o problema na empresa era somente liderança e gestão de pessoas. Quando você empresário criou sua empresa com 2 funcionários era uma bagunça, todos faziam de tudo, até seu filho quando criança ajudava em alguma coisa e se divertia. Mas agora com dezenas de funcionários tudo mudou, as coisas não funcionam mais no grito, a maioria das pessoas querem uma função determinada, plano de carreira, treinamentos, reconhecimento, autonomia, boa liderança e você que sofreu tanto para desenvolver este negócio acha que as pessoas vivem numa ilusão e são moles demais, porque você trabalhava 20 horas por dia e seu funcionário só trabalha bem se tiver internet com fibra ótica.

Não vou detalhar neste artigo sobre gestão de pessoas e liderança, mas posso te garantir que a sociedade muda numa velocidade tão grande quanto a produção dos seus serviços ou produtos mudam. Então porque você investe em máquinas ou processos novos para ser sempre competitivo no mercado e não investe no seu conhecimento em liderança e gestão de pessoas? Você acha mesmo que não precisa? É quando você observa a produtividade baixa e turnover alto. Liderança é o óleo de sua máquina, se não há, pode até funcionar por um tempo, mas vai dar problema a longo prazo.

E os investimentos

Só porque você consertava bem computador dos seus amigos na sua casa não significa que vai ter uma empresa de sucesso. Costumo dizer que para melhorar uma empresa você precisa de tempo ou dinheiro, ou os dois ao mesmo tempo. Há situações em que é só melhorar os processos que a empresa se torna lucrativa, outras situações somente com dinheiro para, por exemplo, contratar mais pessoas para área comercial.

O grande erro dos empresários é achar que a empresa vai funcionar do mesmo jeito para sempre. Para antecipar os desafios futuros é importante manter os investimentos sempre, separar uma parte para investir em novos produtos ou serviços, conhecimentos, processos, tecnologias, máquinas, etc. Eles retrucam: aaahhh, mas eu faço assim faz anos, porque vou gastar nisso agora?

Porque o mundo mudou, a concorrência é muito maior, o conhecimento é muito mais fácil adquirir, se você não investir em todas as áreas da empresa você está fazendo tudo para quebrar e ainda há o grande perigo de investir em algo errado. Quem nunca investiu em algo errado? Todos nós! Mas devemos ter margem para queimar porque é melhor tentar várias vezes e acertar uma do que não tentar nada. Muitos empresários não investem de maneira correta na empresa, entendem que estão tirando do seu lucro líquido. Ficar esperando pode levar a empresa um dia a quebrar ou na sucessão, ver seus filhos pegarem a empresa com sérios problemas. Quantas vezes eu vi isso…

Sua empresa é uma piada

Essa é o que mais vejo. Por um certo período, que pode ser por alguns meses ou anos, a empresa foi altamente lucrativa, o empresário acumulou patrimônio, comprou imóveis, gastou muito e viveu uma vida maravilhosa achando que nunca poderia passar apertos. Mas agora a empresa não é mais tão lucrativa e para manter tudo funcionando o que fazem? Empréstimos. Os pais financiam, agiotas, vendem de patrimônio, hipoteca, dinheiro dos amigos, etc. O problema não é fazer isso, o grande problema é ter fluxo de caixa negativo. Perceber o prejuízo pode demorar anos. Exemplo: empresários com dificuldades financeiras na empresa pegam empréstimos altos na empresa. Com um pouco de fluxo de caixa negativo a cada mês, vai demorar anos para que o gerente do banco ligue falando que a empresa está devendo muito e que não pode aumentar o limite do cheque especial. Já vi empresas que não são lucrativas por mais de 10 anos! Parece que o empresário está brincando lá, afinal de contas não quer ser empregado de ninguém, então prefere enrolar suas contas por anos até que algo não deixe mais fazer isso. Nosso país não tem leis severas, o calote acontece por todos os lados mantendo essa ideia que sempre há um jeitinho para burlar dificuldades financeiras.

Não investir em marketing

Muitas empresas ainda não fazem investimento em marketing de modo eficiente, parece que é um gasto desnecessário e na crise ainda reduzem mais. Marketing para mim é como se fosse uma despesa fixa, precisa ser feito sempre. Já vi diversos negócios que não o fazem, mesmo sendo lucrativo as coisas mudam, chegam concorrências, processos novos, pessoas novas no mercado e o marketing ajuda na imagem da sua marca. É preciso sempre manter na mente das pessoas, seu produto ou serviço, atingir o público certo, entre outros diversos benefícios. Já ouvi de muitos empresários, que não adianta fazer marketing porque, já que a empresa já chegou onde está sem, porque agora vai gastar com isso?

Conexão emocional com o que ou quem não deve

Muitos empresários estão amarrados emocionalmente com alguém ou alguma coisa. Já observei casos, por exemplo:

Mas não dá para mudar daqui, esta casa é da família, o que eles vão falar de mim? Não posso fazer isso porque meu sócio vai achar que quero passar a perna nele. Não posso demitir ele porque está na empresa desde o início, coitadinho, ele não vai conseguir emprego em nenhum lugar. Este fornecedor foi muito bom para mim, continuo comprando dele mesmo mais caro porque gosto muito dele. Gosto muito deste lugar, não mudaria para pagar menos aluguel. Devo favores para ele por isso eu não posso demiti-lo. Não posso diminuir a empresa senão vão achar que sou um fracasso.

Entendo que temos conexões emocionais com as pessoas e objetos, é natural de todo ser humano normal, contudo, para uma empresa nem sempre é o melhor negócio. Não digo que devemos fazer tudo só observando números, acredito que nas empresas devem-se ter excelentes ambientes de trabalho, boa liderança, benefícios e uma estratégia lucrativa e motivadora para todos. Contudo, como os exemplos citados, destroem a empresa, funcionários perdem seus empregos e sócios se endividam.

Há diversos motivos que fazem empresários fracassarem. É importante parar por um tempo para pensar nas melhores estratégias para não perder a noção dos fatos que estão acontecendo em sua organização. A solução é ponderar suas atitudes para que aja benefícios a longo prazo. Já parou para pensar nestes pontos? Comente abaixo também o que você pensa sobre ou outros motivos!